Para Refletir

Há momentos na vida difíceis de serem suportados, em que a única vontade que sentimos é de chorar, pois parecem arruinar para sempre nossa vida. Quando um destes momentos chegar, lembre-se que ainda não chegou o fim, que a sua história ainda não acabou e que ainda há esperança. Corrie Ten Boom disse: "não há abismo tão profundo que o amor de Deus não seja ainda mais profundo". Este amor você encontra aqui, um lugar de esperança, consolo e paz, e aqui encontrará a oportunidade de conhecer a verdadeira vida, uma vida abundante com Cristo.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

QUANDO A TEMPESTADE CHEGA

Atos 27.1-44
INTRODUÇÃO
Por que as pessoas que amam a Deus, que tentam agradar a Deus, que são fiel a Deus enfrentam tempestades na vida? Como conciliar vontade de Deus com crises e tempestades? O que podemos perceber é que mesmo andando segundo a vontade de Deus enfrentamos nesta caminhada tempestades, ventos contrários, verdadeiros tufões e muitas dificuldades. Isso é um fato que acontece em nossas vidas, tanto é que, talvez, você esteja hoje com algumas tensões em seu coração, enfrentando, que sabe, uma grande tempestade.
O texto que acabamos de ler fala de uma tempestade na vida de Paulo e daqueles homens que estavam com ele. Era desejo de Paulo ir a Roma? Era propósito de Deus que Paulo fosse a Roma? Era desígnio de Deus que Paulo chegasse à capital do Império Romano? Sim! Então, era natural que se esperasse uma viagem tranqüila até Roma, segura, sem atropelos, sem incidentes, afinal estavam todos debaixo dos propósitos de Deus. Mas não fora assim a viagem, pelo contrário, ela foi muito turbulenta. Que lições podemos tirar desta viagem de Paulo para nossas vidas? A primeira coisa que podemos ver no texto são:
1 – OS VENTOS CONTRÁRIOS
4  Partindo dali, navegamos sob a proteção de Chipre, por serem contrários os ventos;
Você já enfrentou ventos contrários em sua vida? São ocasiões em que você tinha um propósito firme de andar em uma direção e tudo te faz andar em uma direção contrária? É uma viagem que você tem que adiar. É umas férias que você tem que interromper. São planos, projetos na vida que pareciam tão certos e te traria resultados tão positivos e de repente são frustrados. São tentativas frustradas de inversão de situações, de superação da atual condição de sua vida.
Há momentos na vida em que parece que somente os ventos contrários estão soprando sobre ela. São situações que perduram por um longo tempo e isso desgasta seu ânimo, seu vigor, sua motivação e quando estamos vivendo situação assim parece que os problemas nunca vêm sozinhos, mas sempre acompanhados de outro, e chegam como em um efeito cascata. O que os ventos contrários nos ensinam:
A – Os ventos são autônomos
8  O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai... (Jo 3.8).
Os ventos sopram a nossa rebelia. Não seguem a nossa vontade. Não obedecem ao curso de nossas vidas. Eles são independentes. Assim são as dificuldades em nossas vidas. Nós não as queríamos, não as procuramos e até as tentamos evitar muitas vezes, mas elas são inevitáveis na vida. Elas sempre vão existir de uma maneira ou de outra.
As vezes as dificuldades em nossas vidas são frutos daquilo que semeamos, conseqüências de uma desobediência, de uma atitude mal pensada, por não ouvirmos conselhos e não atendermos a muitos irmãos que Deus envia para nos alertar, mas as vezes do nada elas aparecem e você não pode fazer nada para evitar que isso aconteça, porque os ventos contrários são autônomos. Mas também existe algo perigoso que muitos o fazem:
B - Soltar o leme e seguir a direção do vento
Muitas pessoas não suportam os ventos contrários de suas vidas. Muitos não resistem à força do vento e se entregam. São pessoas que acham que estavam equivocadas, que não vale a pena ser fiel e perseverar até o fim. São pessoas que desistem fácil de seus sonhos, que mudam seus ideais conforme as circunstâncias. Não é assim que devemos agir nos ventos contrários, pelo contrário:
C – Devemos permanecer firmes para os propósitos de Deus
O destino de Paulo não era o fundo do mar. O destino de Paulo não era nenhuma ilhota, nenhum lugarejo, mas era Roma, a capital do Império Romano. Este era o propósito de Deus na vida de Paulo e o inimigo pode ter enviado ventos contrários para tentar afastar Paulo dos propósitos de Deus, mas a Bíblia nos diz que:
4  ... maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo (1 Jo 4.4).
A mesma tempestade que assola a sua vida está sob os pés de Jesus que anda por sobre ela. Deus é Soberano porque em nenhum momento qualquer um de Seus propósitos não pode deixar de ser cumprido. Se isso pudesse acontecer um dia Ele não seria chamado de Deus Onipotente, O Deus que pode todas as coisas. Mas há também um consolo nos ventos contrários:
D – Eles não são permanentes
Os ventos contrários não são para sempre. A Bíblia diz que:
5  ... Ao anoitecer, pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã (Sl 30.5).
O seu choro não vai durar a vida toda. Deus tem um odre em que guarda todas as suas lágrimas e um dia Ele vai assisti-las e vai enxugá-las de seu rosto. Além dos ventos contrários, encontramos nesta viagem:
2 – OS VENTOS PARADOS
7  Navegando vagarosamente muitos dias e tendo chegado com dificuldade defronte de Cnido, não nos sendo permitido prosseguir...
Você já enfrentou ventos parados em sua vida? Entra ano e sai ano e tudo permanece a mesma coisa, tudo vira uma mesmice. Parece que as coisas estão estagnadas e você está dando voltas em círculos. Você não avança e as coisas não saem do lugar, enquanto que você gostaria mesmo era de avançar e de ver resultados. São situações que permanecem as mesmas, conflitos que não se resolvem, soluções que não chegam, o socorro que não vem e você não sabe o que fazer.
Quero te dizer uma coisa: Se os ventos estão parados em sua vida saiba que Deus está no controle. É Ele quem domina o vento. Quando Jesus acalmou uma tempestade no Mar da Galiléia aqueles homens disseram: Quem é este que até o vento lhe obedece? Ele está te levando para o destino glorioso que Ele preparou para você.
Depois de passar por ventos contrários e pelos ventos parados, Paulo vai viver uma outra situação:

3 – OS BONS PORTOS
8  Costeando-a, penosamente, chegamos a um lugar chamado Bons Portos, perto do qual estava a cidade de Laséia.
Louvado seja Deus, porque depois de enfrentar ventos contrários e ventos parados Deus concede àqueles homens um tempo de refrigério para puderem refazer as suas forças.
Quantas vezes os bons portos chegam em nossa vida. É uma palavra de encorajamento de um irmão. É uma mensagem tocante que ouvimos. É um texto da Bíblia que lemos. É um hino que ouvimos. É uma trégua da batalha que travamos.
Os bons portos são tempos que Deus reserva para estimular você, abençoar você e nestes momentos Ele te diz para você não desanimar. Mas há um grande perigo nos bons portos: Achar que ali é seu destino final. Há pessoas que quando chegam aos bons portos não querem mais sair de lá, não querem mais entrar no mar, não aceitam mais nenhuma tempestade em sua vida. São pessoas que não querem mais desafios para sua vida, pessoas que penduraram a chuteira e embanharam as suas armas.
Reveja sua vida e veja se você já foi mais fiel a Deus do que é hoje, se você já leu a Bíblia mais do que lê hoje, se você orou a Deus mais do que ora hoje, se você participava da Igreja mais do que participa hoje? Se você contribuía à Igreja mais do que contribui hoje. Será que você não se acomodou em um bom porto?
É certo que podemos nos acomodar nos bons portos, mas para cumprir a vontade de Deus é necessário prosseguir, ir em frente e continuar a viagem, venha o que vier, aconteça o que acontecer. Mas há outras armadilhas esperando por nós espalhadas pelo caminho:
4 – OS VENTOS BRANDOS
13  Soprando brandamente o vento sul, e pensando eles ter alcançado o que desejavam, levantaram âncora e foram costeando mais de perto a ilha de Creta.
Depois de enfrentarem ventos contrários e parados, passarem um tempo nos bons portos, aqueles homens entram novamente ao mar e passam por ventos brandos. Duas coisas aconteceram aqui:
A – Não ouviram os conselhos de Paulo
Paulo os exortava a não continuarem a viagem naquele momento, mas eles não ouviram seus conselhos. Este é o perigo dos ventos brandos. Geralmente, não ouvimos a voz de Deus quando tudo está calmo em nossa vida. Muitas vezes são necessárias as lágrimas, o choro, a dor para finalmente ouvirmos a Deus.
Toda tempestade tem um propósito: Levar-nos ao arrependimento. As tempestades que enfrentamos na vida vão nos ensinar a confiar no Senhor, por mais que muitas vezes tentamos jogar os problemas que estamos passando no mar do esquecimento.
B – Foram enganados pelos ventos brandos
Acharam que os problemas tinham acabados e não foram precavidos, mas de repente formou-se uma tremenda tempestade. Eles estavam vivendo uma aparente sensação de paz e tranqüilidade. Os ventos estão brandos, até parecia que finalmente as dificuldades da viagem tinham acabados.
Quando tudo anda bem em nossas vidas, quando o céu está azul, sobi a nossa auto-estima e os nossos planos, projetos, sonhos e desejos são fortalecidos por esta onda azul. Não ouvimos os conselhos. Não agimos com prudência. Não somos cautelosos. De repente aparecem raios e trovões avisando que uma tempestade está surgindo e ela varre as nossas vidas e nos colocam de pernas para o ar, porque nos pegou desprevenidos. E foi exatamente isso que aconteceu aqui, porque depois dos ventos brandos chegou:
5 – O TUFÃO
14  Entretanto, não muito depois, desencadeou-se, do lado da ilha, um tufão de vento, chamado Euroaquilão;
Quando não se escuta os conselhos de Deus enfrenta-se verdadeiros tufões. O que são os tufões da vida? São aqueles problemas que nos atingem de cheio e que nos deixam desnorteados, desequilibrados emocionalmente, perplexos, sem rumo e sem direção.
É um comunicado médico dizendo que a enfermidade é grave. É a morte de um ente querido. É a falência nos negócios. É o casamento que entra em um processo de crise. É o filho ou a filha que sai de casa. O filho ou a filha que se rebela contra os pais. Filhos que se envolvem com drogas. São situações sem controle.
Nesta hora, muitos se revoltam contra Deus, como o fez a mulher de Jó, que quando perderam seus bens, seus filhos e sua Jó a sua saúde, ela lhe disse:
9  ... Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre (Jó 2.9).
Aquela mulher estava acostumada com a fartura e não com a escassez, com a saúde perfeita e não com a enfermidade, com a presença de seus filhos e não sem eles.
O que fazer nestas horas? O que fazer quando um tufão atinge sua vida?
A – Cesse a manobra
15  e, sendo o navio arrastado com violência, sem poder resistir ao vento, cessamos a manobra e nos fomos deixando levar.
Tire a mão do leme e deixe tudo nas mãos de Deus. Não adianta se desesperar, querer dominar a situação. Deixe que o Senhor manobre a sua vida.
B – Jogue fora toda bagagem extra
18  Açoitados severamente pela tormenta, no dia seguinte, já aliviavam o navio.
É na hora da crise que temos uma visão muito clara daquilo que é supérfluo na vida da gente. É na hora da crise que você percebe que está levando uma bagagem inútil, desnecessária. É no vale que enxergamos aquilo que realmente é vital em nossas vidas. Jesus um dia falou:
28  Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.
29  Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma.
30  Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve (Mt 11.28-29).
Precisamos lançar ao mar todos os empecilhos que estão nos impedindo para esta viagem. Foi no tufão que aconteceram duas coisas na vida daqueles homens:
C – Densas trevas
20  E, não aparecendo, havia já alguns dias, nem sol nem estrelas, caindo sobre nós grande tempestade, dissipou-se, afinal, toda a esperança de salvamento.
O que representava para aqueles homens o sol e as estrelas? Tudo! Eles eram norteados de dia pelo sol e a noite pelas estrelas. Eles não tinham bússola. Mergulhados em densas trevas aqueles homens perderam a direção e não sabiam para onde estavam indo. Era tão séria a situação que se dissipou toda esperança de salvação.
Quem sabe você hoje não esteja também vivendo nesta mesma situação. Tão perdido, tão desnorteado, que não sabe mais o que fazer. Acha que seu problema não tem mais jeito, não tem mais solução. Quem sabe você não esteja se sentindo no fundo do poço, sem nenhuma luz com todas as portas fechadas, mergulhado em uma depressão profunda, achando que nunca mais vai sair desta situação.
D – O naufrágio
41  Dando, porém, num lugar onde duas correntes se encontravam, encalharam ali o navio; a proa encravou-se e ficou imóvel, mas a popa se abria pela violência do mar.
Eles naufragaram. Nem sempre as vitórias vão fazer parte de nossas vidas. Muitas vezes teremos que experimentar o amargo sabor da derrota. Os propósitos de Deus não nos isentam de derrotas. A vitória final está garantida, mas até lá muitas batalhas poderão ser perdidas.
O que fazer quando nossa realidade parece virar pó? O que fazer quando a fé e a esperança se esvaem. O que fazer quando tudo que construímos está sendo destruído e/ou abalado? Não agir por impulso e não tomar decisões precipitadas. A melhor maneira de se tomar uma decisão é esperar o temporal passar. No temporal surgem perguntas sem respostas e quando aparece uma resposta surgem outras perguntas. No temporal você está vulnerável. Mas precisa tomar cuidado porque há o perigo de cairmos em outro erro:
6 – A SOBERANIA DE DEUS NÃO ISENTA O ESFORÇO HUMANO
Paulo venceu a tempestade e ela passou, mas em muitos momentos vemos a sua reação: Nos versos 18 e 19 eles mesmos aliviavam o navio de sua carga. E nos versos 30 e 31, quando Paulo percebeu que os marinheiros queriam abandonar o navio, advertiu o centurião que sem eles não conseguiriam se salvar. Era necessário o esforço humano para superar a tempestade.
As vezes permanecemos em uma situação deplorável por falta de uma reação, por falta de uma atitude sensata, e Deus fica esperando você tomar esta atitude. Deus não hesita em dar nenhum passo até você, mas em certas circunstâncias Ele não dá nenhum passo em seu lugar. Existem passos que pertencem a você e Deus está esperando você dar este passo para vir ao seu encontro. Existem atitudes que é você quem tem que tomar. Reaja!
CONCLUSÃO
Não há como evitar as tempestades em nossas vidas, mas a atitude que tomamos diante delas faz toda diferença. Hoje se prega o evangelho da paz, da vitória somente e muitos dizem que o cristão não pode experimentar derrotas.
O propósito de Deus na vida de José era ser o Governador do Egito, mas antes ele passou pela amarga experiência da escravidão, sendo vendido pelos próprios irmãos e foi jogado em um cárcere inóspito por anos.
O propósito de Deus na vida de Moisés era guiar no deserto o povo de Deus, mas antes disso Deus o levou ao deserto por 40 anos para pastorear ovelhas.
O propósito de Deus na vida de Davi era o trono de Israel, mas antes do trono ele teve que viver nas cavernas, fugindo de um homem louco e sanguinário.
O propósito de Deus na vida de Paulo era Roma, capital do Império Romano, mas antes ele teve que enfrentar ventos contrários, ventos parados e um verdadeiro tufão em sua vida.
O propósito de Deus é te conduzir até aos portais eternos da eternidade, para uma vitória gloriosa e te coroar com a coroa da vida, mas antes você terá que passar por desertos e vales para depois Deus te receber na glória. Que Deus te abençoe.

Luiz Lobianco


luizlobianco@hotmail.com

4 comentários:

  1. Deus o abençoe sempre por essa mensagem abençoadora do coração de Deus através do amado irmão.

    ResponderExcluir
  2. Louvado seja Deus, porque depois de enfrentar ventos contrários e ventos parados Deus concede àqueles homens um tempo de refrigério para puderem refazer as suas forças.
    Quantas vezes os bons portos chegam em nossa vida. É uma palavra de encorajamento de um irmão. É uma mensagem tocante que ouvimos. É um texto da Bíblia que lemos. É um hino que ouvimos. É uma trégua da batalha que travamos. Obrigado pelo refrigério Irmão da fé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém! Muito confortante saber que o Espírito Santo usou esta mensagem como um bom porto para alguém renovar suas forças!

      Excluir